Anunciação

Da wiki OrthodoxWiki
Ir para: navegação, pesquisa
A Anunciação

A Festa da Anunciação à Mãe de Deus (em grego: Evangelismos) é uma das mais antigas festas cristãs, sendo celebrada desde o século II, e realizada sempre durante a Grande Quaresma, no dia 25 de março, fazendo com que o tempo quaresmal seja “flexibilizado” nesse dia para que se possa comer peixe. Essa comemoração relembra os fiéis do encontro de Maria com Gabriel e sua resposta, evento relatado no primeiro capítulo do Evangelho de São Lucas (Lucas 1, 24–38). Trata-se de uma das Doze Grandes Festas.

Relato bíblico

O Arcanjo Gabriel havia sido enviado por Deus a Nazaré, na Galileia, onde este falou com uma virgem imaculada, que estava prometida em casamento com um certo homem chamado José:

Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo. Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.

Ao contrário de Eva, que foi facilmente enganada pela serpente, a Virgem não aceitou de imediato a mensagem do anjo. Em sua humildade, não se achava merecedora de tão grandes palavras; ao contrário, estava incomodada com elas. O fato de ela ter pedido uma explicação revela sua sobriedade e prudência. Não que ela não acreditasse nas palavras do anjo, mas sim que não entendia como elas se cumpririam, pois falavam de algo que estava além da natureza. Disse então:

Como se fará isso, pois não conheço homem?

E Gabriel:

O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso, o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, até ela concebeu um filho na sua velhice; e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril, porque a Deus nenhuma coisa é impossível.

Finalmente, Maria aceita:

Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra.

Tradição

Além da própria mensagem do Arcanjo Gabriel, a Anunciação de nada teria valido senão pela resposta da Virgem. Essa mensagem cumpre a promessa de Deus de enviar o Redentor: “Porei ódio entre ti (a serpente) e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”[1] Os Pais da Igreja compreenderam que a “descendência dela” se referia a Cristo. Os profetas apontaram a Sua vinda, a qual eles achavam difícil, mas o Arcanjo Gabriel viera para proclamar que a promessa estava para se cumprir.

É possível identificar a promessa na Divina Liturgia de São Basílio:

“Ele, seduzido pela serpente e morto pelas suas próprias paixões, desobedeceu a Ti, verdadeiro Deus que o havias criado; com toda a justiça, ó Deus, o expulsaste do paraíso para o nosso mundo e o fizeste voltar à terra de onde tinha sido tirado, dispondo, porém, tudo para a sua salvação pelo renascimento no Teu Cristo.”[2]

Em seu vigésimo terceiro sermão, São Filarete, Metropolitano de Moscou grandiosamente proclama que a palavra da criatura trouxe o Criador ao mundo. O metropolitano explica que a salvação não foi meramente um ato da vontade de Deus, mas que também envolveu o livre-arbítrio da Virgem. Ela poderia ter recusado, mas aceitou a vontade de Deus e escolheu cooperar sem protesto.

O ícone da Festa mostra Gabriel com um cajado em sua mão esquerda, indicando sua função de mensageiro. Às vezes, uma de suas asas mostra-se levantada, como se ele estivesse descendo do céu. Sua mão direita alonga-se em direção à Virgem enquanto ele proclama sua mensagem. A Virgem é retratada de pé ou sentada, geralmente carregando um fio ou um pergaminho em sua mão esquerda. Já a sua mão direita pode estar levantada, indicando sua surpresa com a mensagem. Sua cabeça está abaixada, mostrando consenso e obediência. A descida do Espírito Santo nela é retratada por um raio de luz vindo de uma pequena esfera no topo do ícone, que simboliza o paraíso. Num famoso ícone do Sinai, uma pomba branca aparece no raio de luz.

Há inúmeros ícones famosos sobre a Anunciação. Um deles está no Kremlin de Moscou, na Catedral da Anunciação. Esse ícone apareceu durante o resgate de um prisioneiro pela Mãe de Deus durante o reinado de Ivã, o Terrível. Outro pode ser encontrado na Catedral da Dormição, também em Moscou, e comemorado em 8 de julho, junto com São Procópio, o Louco, que orou ao ícone para que a cidade de Ustiug fosse salva da destruição em 1920. Um dos ícones mais reverenciados da Grécia é o ícone da Anunciação na ilha de Tinos.

Hinos

Tropário

(Cantado pela Catedral Ortodoxa Antioquina de São Paulo; em tom 4)

Hoje é o começo da nossa salvação /
e a declaração do eterno mistério. /
Pois o Filho de Deus torna-se Filho da Virgem /
e Gabriel anuncia a graça. /
Por isso nós também, com ele, aclamamos à Mãe de Deus: /
Salve, ó cheia de graça, /
o Senhor é contigo!

Ligações externas

Referências

  1. Gênesis 3:15
  2. Anáfora (cortesia da Arquid. de S. Paulo e Todo o Brasil)