Procópio de Cesareia

Da wiki OrthodoxWiki
Ir para: navegação, pesquisa
São Procópio de Cesareia.

O Santo Megalomártir Procópio de Cesareia e seus companheiros (ou de Citópolis, m. 303) foram os protomártires de Cesareia Palestina. A Igreja os comemora em 8 de julho.

Vida

Neanias era um nativo de Jerusalém, filho de um ilustre romano, Cristóvão, cristão, e de Teodósia, ainda pagã. Perdeu o pai ainda jovem, e foi criado e educado pela mãe. Tendo recebido uma excelente educação secular, Neanias apresentou-se ao Imperador Diocleciano (284–305) no ano em que este subiu ao trono, e rapidamente foi promovido no serviço público. Em 303, quando a Perseguição foi instituída, Neanias foi enviado como procônsul a Alexandria, com as ordens de impiedosamente perseguir a Igreja.

Ao contornar o Mediterrâneo, próximo à cidade de Apameia, Neanias teve uma visão de Nosso Senhor Jesus Cristo, semelhante à que São Paulo teve na estrada a Damasco. Uma voz celestial exclamou: “Neanias, por que persegues a Mim?” E, tendo Neanias perguntado quem era a voz, esta disse: “Eu sou o Jesus Crucificado, Filho de Deus.” Nesse momento, uma Cruz irradiou no céu. Neanias sentiu uma inexprimível alegria em seu espírito, e transformou-se de perseguidor a um zeloso seguidor de Cristo. Nesse momento em diante, Neanias tornou-se aliado dos cristãos e lutou vitoriosamente contra os bárbaros.

“Os inimigos do homem serão as pessoas de sua própria casa.” (Mateus 10:36)

Essas palavras do Salvador cumpriram-se para o santo. Sua mãe pôs-se diante do imperador, queixando-se que seu filho não adorava aos deuses pagãos. Neanias então foi trazido perante o procurador, que entregou-o o decreto de Diocleciano. Após ler a blasfemosa diretiva, Neanias serenamente rasgou-a no meio perante os olhos de todos. Esse ato era considerado um crime de insulto à autoridade pelos romanos. Neanias foi mantido sob guarda e, acorrentado, foi levado a Cesareia Palestina, onde o Apóstolo Paulo fora outrora preso. Após terríveis tormentos, o santo foi jogado numa prisão. Naquela noite, uma luz brilhou na prisão — era o próprio Senhor Jesus Cristo, que batizou o confessor sob o nome de Procópio.

São Procópio foi levado ao tribunal repetidas vezes até partir para a vida eterna, e em todas foi torturado por não renunciar Cristo. A ardente fé do grande mártir levou a abundante graça de Deus sobre aqueles que testemunhavam sua execução. Então, o procurador Flaviano, convencido que as torturas não abalavam o santo, sentenciou o megalomártir à decapitação pela espada. Este veio a ser o primeiro martírio ocorrido em Cesareia Palestina, em 303.

Inspirados pelo exemplo do santo, muito dos soldados encarregados por São Procópio entregaram-se à espada, junto com os tribunos Nicostrato e Antíoco. Outras doze cristãs apresentaram-se ao pretório de Cesareia e receberam as coroas do martírio. Golpeada pela grande fé e coragem dos cristãos, e vendo a firmeza com a qual seu filho passou pelos terríveis sofrimentos, Teodósia arrependeu-se e foi contada entre os santos confessores mortos junto com São Procópio.

Hinos

Tropários

Teu mártir Procópio,
em sua luta por Ti, Senhor,
de Ti recebeu a coroa eterna.
Recebendo forças de Ti, ó nosso Deus,
derrotou os tiranos,
e destruiu a pretensão impotente dos demônios.
Por sua intercessão,
ó Cristo Deus,
salva nossas almas.

Ligações externas