Isaque, Dalmácio e Fausto de Dalmácia

Da wiki OrthodoxWiki
Ir para: navegação, pesquisa
Santo Isaque, o Asceta.

Os Santos Veneráveis Isaque, Dalmácio e Fausto, Hegúmenos de Dalmácia (séc. IV e V), foram os primeiros três hegúmenos do Mosteiro de Dalmácia, na Trácia. A Igreja os comemora os três no dia 3 de agosto e Santo Isaque nos dias 22 de março e 30 de maio.

Vida

Antes de entrar para a vida monástica, Isaque era um soldado imperial. Após ter sido tonsurado, o monge alcançou tamanha perfeição espiritual que foi digno de receber revelações divinas. Na segunda metade do século IV, o Imperador Valente (364–378) já havia se sucumbido na heresia ariana e estava perseguindo os cristãos ortodoxos. Quando soube disso, Santo Isaque saiu do deserto e viajou até Constantinopla para enfrentar o imperador. O asceta tentou ao máximo fazer com que o imperador largasse a heresia, mas não conseguiu. Então, profetizou que Valente seria morto em chamas por causa de suas ações. O imperador ordenou que Santo Isaque fosse jogado na prisão, e prometeu lidar com ele após voltar de uma campanha militar contra os góticos, que estava prestes a iniciar. Em 9 de agosto de 378, Valente foi derrotado e morto escondido numa casa que foi posta em chamas. Mais da metade de seus 30 mil homens foram mortos no que foi conhecido como Batalha de Adrianópolis.

O sucessor de Valente, São Teodósio I (379–395), tinha um grande afeto pelo monge, e libertou-o da prisão. São Teodósio também convocou o Segundo Concílio Ecumênico em 381, no qual Santo Isaque esteve presente, e o arianismo foi oficialmente proibido em todo o império. O santo asceta já ansiava para voltar a viver no deserto como monge, mas um próspero homem construiu-o um mosteiro em Constantinopla. Santo Isaque tornou-se o primeiro hegúmeno do mosteiro e viveu até o fim de sua vida, quando partiu para o Senhor no ano de 383.

No exército de São Teodósio, havia um notável soldado chamado Dalmácio, que começou a sentir um desejo dentro de seu coração de dedicar-se ao seu Senhor e Criador. Em algum momento entre 381 e 383, Dalmácio deixou o serviço militar e passou a servir o Reino dos Céus. Junto com seu filho Fausto, Dalmácio foi até o mosteiro de Santo Isaque para conversar com o asceta. Santo Isaque tonsurou pai e filho, e ambos começaram a viver uma estrita vida asceta. Conta-se que São Dalmácio uma vez passou os quarenta dias da Grande Quaresma sem comer absolutamente nada, adquirindo a dignidade de receber revelações divinas assim como Santo Isaque. Superando todos os outros monges, São Dalmácio foi escolhido como sucessor por Santo Isaque antes de morrer.

No século V, o imperador Teodósio II (402–450), irmão de Santa Pulquéria (408–416), convocou Terceiro Concílio Ecumênico (431) em meio à heresia de Nestório, Patriarca de Constantinopla (428–431). São Dalmácio fez-se presente e, junto com os outros santos padres, conseguiu condenar a heresia nestoriana e depor o patriarca. Após o concílio, os santos padres, reconhecendo seus esforços em defender a Fé, elevaram São Dalmácio a arquimandrita. Por conta do santo, o mosteiro ficou conhecido como Mosteiro Dalmaciano ou Mosteiro de Dalmácia. Já próximo da morte, São Dalmácio escolheu seu filho São Fausto, o qual havia se provando um excelente asceta e jejuador, para ser seu sucessor. Sabe-se muito pouco sobre a vida de São Fausto.

Ligações externas