Clemente de Ancira

Da wiki OrthodoxWiki
Ir para: navegação, pesquisa

O Hieromártir Clemente, Bispo de Ancira (n. 258), nasceu na cidade de Ancira, na Galácia. A Igreja comemora sua festa em 23 de janeiro.

Vida

São Clemente foi filho de um pai pagão, o qual morreu na sua infância, e de uma mãe cristã. Sua mãe predisse sua morte como mártir por causa de sua crença em Cristo, e morreu quando Clemente ainda tinha doze anos. Uma mulher, com o nome de Sofia, o adotou e criou-o com temor a Deus.

Durante uma terrível fome na Galácia, vários pagãos expulsaram seus próprios filhos por não terem como alimentá-los. Sofia acolheu esses desafortunados e os alimentou e vestiu, com a ajuda de São Clemêncio. Ele as ensinou e as preparou para o batismo. Muitas delas morreram como mártires de Cristo.

São Clemente foi ordenado leitor, e, mais tarde, diácono. Quando completou seus dezoito anos, obteve a ordenação sacerdotal, e, aos vinte anos de idade, foi consagrado Bispo de Ancira. Pouco tempo depois, a perseguição contra os cristãos sob Diocleciano (284–305) começou, e Clemente foi preso após ser denunciado como cristão.

Tortura e martírio

Domiciano, o então governante da Galácia, tentou persuadir o santo a adorar os deuses pagãos, mas São Clemente confessou com firmeza a sua fé e valentemente resistiu a todas as torturas. Os torturadores o penduraram numa árvore, e arranharam seu corpo com afiados instrumentos de ferro até que suas entranhas pudessem ser vistas. Eles esmagaram sua boca com pedras, giraram-no numa roda de tortura e o queimaram em fogo baixo. O Senhor preservou Seu sofredor e curou seu corpo dilacerado.

Domiciano, então, enviou o santo a Roma para o próprio imperador Diocleciano, relatando que o Bispo Clemente havia sido ferozmente torturado, mas que se provara inabalado. Diocleciano, vendo o mártir completamente saudável, não acreditou no relato e o sujeitou a torturas ainda mais cruéis, e o prendeu.

Vários pagãos, vendo a bravura do santo e da milagrosa cura de suas feridas, passaram a crer em Cristo. Pessoas se reuniam com São Clemente na prisão para receberem orientação, cura e batismo, de modo que a prisão se transformou literalmente numa igreja. Quando a notícia chegou ao imperador, muitos desses novos cristãos foram executados.

Diocleciano, espantado com a incrível resistência de São Clemente, o enviou a Nicomédia de Maximiano, o co-imperador. No barco, o santo foi acompanhado por seu discípulo Agatângelo, que não havia sido executado com os outros confessores, mas que desejava sofrer e morrer por Cristo com o Bispo Clemente.

Maximiano, por sua vez, enviou os santos Clemente e Agatângelo ao governador Agripina, que os sujeitou a tormentos tão desumanos que os próprios pagãos sentiram piedade pelos mártires e começaram a atirar pedras nos torturadores. Tendo sido libertados, os santos curaram um habitante da cidade através da imposição de mãos, batizaram e instruíram as pessoas em multidões.

Presos novamente sob ordens de Maximiano, eles foram mandados de volta para Ancira, onde o governante Quirino os torturou. Eles, então, foram enviados à cidade de Amásia, do procônsul Domécio, conhecido por sua grande crueldade. Lá, os mártires foram jogados em lima quente. Eles passaram um dia inteiro, e permaneceram ilesos. Esfolaram-nos, bateram-nos com barras de ferro, colocaram-nos em camas incandescentes e despejaram enxofre sobre seus corpos.

Tudo isso não prejudicou os santos, e eles foram enviados a Tarso para novas torturas. No deserto ao longo do caminho, São Clemente recebeu uma revelação de que sofreria um total de vinte e oito anos por Cristo. Depois de terem sofrido uma infinidade de torturas, os santos foram presos. Santo Agatângelo foi decapitado com a espada num 5 de novembro.

Os cristãos de Ancira libertaram São Clemente da prisão e o levaram para uma igreja numa caverna. Lá, depois de celebrar a liturgia, o santo anunciou aos fiéis o fim iminente da perseguição e seu próprio martírio. Num 23 de janeiro, o santo hierarca foi morto por soldados da cidade, que invadiram a igreja. O santo foi decapitado enquanto estava diante do altar oferecendo o Sacrifício Sem Sangue. Dois diáconos, Cristóvão e Caritão, foram decapitados com ele, mas os fiéis não foram feridos.

Ligações externas