Ágata de Catânia

Da wiki OrthodoxWiki
Ir para: navegação, pesquisa
Santa Virgem Mártir Ágata de Catania

A Santa Virgem Mártir Ágata de Catânia (ou Águeda de Palermo, ou ainda de Sicília) foi uma mártir do século III, e é comemorada pela Igreja no dia 5 de fevereiro.

Vida

Santa Ágata era filha de ricos e respeitados pais cristãos da cidade de Palermo, na Sicília. Durante a perseguição sob o imperador Décio (249–251), o prefeito de Catânia, Quinciano, ouvindo sobre a riqueza e a beleza de Ágata, enviou seus soldados para trazê-la em julgamento por ser cristã. Na época, a santa tinha 15 anos de idade.

Em Catânia, a santa foi hospedada numa casa de uma rica mulher, que tinha cinco filhas. Todas elas tentaram Santa Ágata com elegantes roupas, distrações e entretenimento, insistindo que ela oferecesse sacrifício aos deuses pagãos, mas a santa desprezou todas essas coisas. Quanto mais elas tentavam propô-la, mais a santa ficava resoluta de sua escolha. Ela orava para que pudesse sofrer o martírio em breve.

Durante sua interrogação sob Quinciano, a santa mártir não se deixou influenciar nem pela lisonja, nem pelas ameaças, e foi submetida a cruelíssimas torturas. Tentaram arrancar partes de seu corpo, e, não conseguindo, a mutilaram com facas. O santo Apóstolo Pedro apareceu a ela na prisão, e curou seus ferimentos. Ao ser levada para a tortura novamente, Quinciano espantou-se por estar completamente curada, sem nem marcas de cortes. Mas isso não impediu que a santa continuasse a ser torturada.

Naquele momento, ocorreu um terremoto na cidade, e muitas construções desabaram. Entre os mortos, estavam dois dos conselheiros de Quinciano. Os habitantes, aterrorizados, correram a Quinciano, pedindo um fim às torturas em Ágata. Temendo uma revolta popular, Quinciano mandou-a de volta à prisão. Lá, a mártir, agradecendo a Deus, pacificamente entregou sua alma ao Senhor.

Ligações externas