Tikhon de Zadonsk

Da wiki OrthodoxWiki
Revisão em 21h22min de 11 de outubro de 2022 por Σταύρος (Discussão | contribs)
(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa
São Tikhon de Zadonsk
miniatura
Bispo de Voronej

São Tikhon de Zadonsk (em russo: Тихон Задонский, 1724-1783) foi Bispo de Voronej, e conhecido pelos seus escritos e dons espirituais, sendo destacado pela sua humildade. Sua festa é comemorada em 13 de agosto, e em 14 de maio pela descoberta de suas relíquias. Foi glorificado em 1860.

Vida

Infância e estudos

São Tikhon nasceu em 1724 em Korotsk, na região de Novgorod, sob o nome de Timóteo. Seu pai repousou quando o santo era ainda criança, deixando a família em uma pobreza extrema. A mãe sequer conseguia dar conta de alimentar seus filhos. Temendo pelo pequeno, a mãe pensou em deixá-lo aos cuidados de uma família vizinha, mas seu filho mais velho, Pedro, não permitiu que isso acontecesse. Assim, o pequenino Timóteo cresceu no seio de uma família muito humilde, não raro precisando trabalhar durante todo o dia para que tivesse um pedaço de pão.

Aos treze anos, foi enviado a um seminário, localizado perto da casa do arcebispo de Novgorod. Nesse período, ganhava o seu sustento trabalhando na horta. Em 1740, conseguiu uma bolsa de estudos para que pudesse estudar no seminário de Novgorod. O jovem era excelente em seus estudos. Anos mais tarde, ao finalizar o seminário, o jovem Timóteo se tornou professor. Primeiramente, foi professor de grego clássico, depois de retórica e filosofia.

Tonsura monástica

Em 1758, na era do Metropolita Demétrio de Novgorod (1757–1767), Timóteo foi tonsurado monge sob o nome de Tikhon, seu novo santo padroeiro. O Metropolita Demétrio, que também era o Primaz da Rússia, se admirou com as virtudes do novo monge e, no ano seguinte, transferiu-o para o grande povoado de Tver, onde, no Mosteiro de Zhyoltikov, (ver fotos) então um dos principais mosteiros da cidade, Tikhon foi elevado ao grau de Arquimandrita. Mais tarde, Tikhon foi nomeado reitor do Seminário de Tver e hegúmeno do Mosteiro de Otroch, (ver fotos) no centro da cidade. Ambos os mosteiros, dedicados à Dormição da Mãe de Deus, foram destruídos pelos ateístas séculos mais tarde.

A eleição de Tikhon ao episcopado foi guiada pela Divina Providência. Caso não fosse eleito bispo, Demétrio pretendia transferir o jovem arquimandrita à Metropolia de Moscou, mais especificamente ao Mosteiro da Santíssima Trindade em Sergiyev Posad, (ver fotos) um dos mais importantes da Rússia e cujos ascetas detinham uma posição de destaque das decisões do Santo Sínodo.

No dia da Páscoa, em São Petersburgo, São Tikhon era um dos oito candidatos considerados para a ordenação como bispo vigário na Metropolia de Novgorod, e os votos do Sínodo caíram sobre ele. Naquele mesmo dia, durante o Hino Querúbico, o Bispo Atanásio de Tver, sem perceber, comemorou o Arquimandrita Tikhon como bispo enquanto cortava as partículas da prósfora na Mesa da Oblação. Em 13 de maio de 1761, no dia de Santa Glicéria, São Tikhon foi ordenado pelas mãos de Demétrio como Bispo de Kexholm-Ladoga, vigário da Metropolia de Novgorod.

O bispo e o homem nobre

Muitas memórias do santo foram registradas por Ivan Yefimov, um monge que acompanhava São Tikhon em sua cela. Em uma delas, Yefimov relata um exemplo de sua humildade. Uma vez, foi dito ao Bispo Tikhon que um homem nobre era extremamente severo com seus servos e os agredia impiedosamente. São Tikhon se dirigiu até ele, pedindo que fosse mais gentil, lembrando-se sempre que toda e cada pessoa, incluindo as mais simples e humildes, são também filhas de Deus. No entanto, aquele homem não suportava que alguém lhe dissesse o que fazer, ainda que fosse o bispo. Ele sofria com um temperamento explosivo, e se acostumou a fazer tudo do seu próprio jeito, e ficou fora de si diante da mera sugestão de que ele pudesse mudar seu comportamento. Inflamou-se de tal modo que bateu no rosto de São Tikhon.

Para muitas pessoas, receber um tratamento tão humilhante seria uma justificativa para sentir raiva. No mínimo, seria de se esperar que o bispo Tikhon censurasse o nobre, lembrando-o de que sendo ele um homem cristão, deveria agir como um. No entanto, São Tikhon se retirou silenciosamente. Voltando para casa, porém, mudou de ideia e decidiu retornar até o homem que o agredira. Chegando lá, São Tikhon se jogou aos pés do homem, implorando por perdão por tê-lo levado à tentação de pecar sob a ira que sofria. Incrédulo, o nobre ficou paralisado diante de um ato de tamanha humildade, afinal, o bispo definitivamente se recusara a ceder à raiva. Diante disso, o homem se arrependeu profundamente, ajoelhou-se diante de São Tikhon, implorando que ele o perdoasse. Daquele dia em diante, os servos daquele homem passaram a ser bem tratados e nunca mais sofreram abusos de sua parte.

Últimos anos

Pouco antes de sua morte, São Tikhon viu em sonho uma enorme escada e ouviu a ordem para que a subisse. "Em um primeiro momento, fiquei com medo pela minha fraqueza", disse ele a seu amigo Cosmas. "Mas conforme comecei a subir, as pessoas ao redor da escada me levantavam cada vez mais alto, e mais alto, até ultrapassar as nuvens". Ao que Cosmas respondeu "A escada é o caminho para o Reino dos Céus. Aqueles que te ajudaram são as pessoas a quem você ajudou com seus conselhos, e por isso elas se lembraram de você". Em lágrimas, o santo disse "Pensei nisso, também. Sinto que meu fim se aproxima". Frequentemente, durante sua doença, São Tikhon comungava os Santos Mistérios.

Assim, conforme lhe fora revelado, adormeceu no Senhor em um domingo, no dia 13 de agosto de 1783, aos cinquenta e cinco anos. A primeira descoberta de suas sagradas relíquias ocorreu em 14 de maio de 1846.

Pós-vida

Inspiração para Dostoiévski

A vida de São Tikhon de Zadonsk inspirou o escritor Fiódor Dostoiévski, inspiração essa refletida no Bispo Tikhon de Os Demônios (Бесы), bem como em traços da personalidade de Aliocha Karamazov e do Ancião (Stárietz) Zóssima de Os Irmãos Karamazov (Братья Карамазовы).

Ligações Externas