Simeão, o Recebedor de Deus

Da wiki OrthodoxWiki
Ir para: navegação, pesquisa
São Simeão, o Recebedor de Deus

O Justo Simeão, o Recebedor de Deus é um santo bíblico, presente no Evangelho de São Lucas como testemunha da Apresentação do Senhor no Templo e considerado um dos setenta autores da Septuaginta. É comemorado um dia depois dessa Grande Festa, ou seja, em 3 de fevereiro, junto com a santa Ana, a Profetisa.

Vida

Ver também: Apresentação do Senhor#Relato bíblico

Historiadores da Antiguidade nos contam que o faraó egípcio Ptolemeu II Filadelfo, no século III a.C., desejava incluir os textos da Santa Escritura na famosa biblioteca de Alexandria. Ele chamou estudiosos de Jerusalém, e o Sinédrio judaico enviou seus sábios. O Justo Simeão estava entre os setenta que foram a Alexandria para traduzir as Santas Escrituras para o grego. A obra completa recebeu o nome de “Septuaginta”, e é a versão do Antigo Testamento usada pela Igreja Ortodoxa.

São Simeão estava traduzindo o livro do Profeta Isaías quando leu as palavras: “uma virgem conceberá e dará à luz um filho”.[1] Ele pensou que “virgem” era um equívoco, e quis corrigir para “mulher”. Naquele momento, um anjo apareceu a ele e segurou sua mão, dizendo:

“Tu verás essas palavras serem cumpridas. Tu não morrerás até que contemple Cristo o Senhor nascer de uma pura e imaculada Virgem.”

Desse dia em diante, São Simeão viveu na espera no Messias prometido. Um dia, o justo Ancião recebeu uma revelação do Espírito Santo, e foi ao Templo. Nesse mesmo dia (o quadragésimo após o nascimento de Jesus), a Mais Pura Virgem Maria e São José haviam vido ao Templo para realizar o ritual prescrito pela Lei Mosaica. Quando São Simeão os viu chegando, o Espírito Santo o revelou que a divina Criança sendo segurada pela Virgem Maria era o Messias prometido, o Salvador do mundo. O Ancião tomou a Criança em seus braços e disse, “Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, segundo a tua palavra; Pois já os meus olhos viram a tua salvação, a qual tu preparaste perante a face de todos os povos; Luz para iluminar as nações, e para glória de teu povo Israel.”[2]

Simeão abençoou a Santa Mãe de Deus e São José, e, tornando-se à Virgem, disse: “Eis que este menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações. E uma espada transpas­sa­rá a tua alma.”[3]

O santo justo Simeão, o Recebedor de Deus, morreu em idade avançada – a Tradição conta que ele morreu aos 360 anos. Suas santas relíquias foram transferidas para Constantinopla no século VI.

Pós-vida

Há um epigrama cristão (nº 46) no livro Antologia Grega – uma coleção de poemas feitos durante os períodos clássico e bizantino da literatura grega – endereçado a São Simeão. Ele conta ao justo Ancião que receba a Criança nascida antes de Adão, que o livrará desta vida e o levará à eterna.

Referências

  1. Isaías 7:14
  2. Lucas 2:29–32
  3. Lucas 2:34, 35

Ligações externas