Alterações

Ir para: navegação, pesquisa

Dez mártires de Creta

3 062 bytes adicionados, 19h09min de 23 de dezembro de 2019
Criou a página com "Os '''dez santos mártires de Creta''' ('''Teódulo''', '''Saturnino''', '''Êuporo''', '''Gelásio''', '''Euniciano''', '''Zótico''', '''Pompeio''', '''Agátopo''', '''Bas..."
Os '''dez santos mártires de Creta''' ('''Teódulo''', '''Saturnino''', '''Êuporo''', '''Gelásio''', '''Euniciano''', '''Zótico''', '''Pompeio''', '''Agátopo''', '''Basílides''' e '''Evaristo'''; m. 250) foram cristãos martirizados durante o reinado de Décio. A Igreja celebra sua festa no dia de seu martírio, [[23 de dezembro]].

== Vida ==
{{Décio}}

Naquele tempo, o eparca de Creta, que também se chamava Décio, iniciou uma feroz perseguição aos cristãos na ilha. Foram trazidos a ele cristãos de todas as partes de Creta: Teódulo, Saturnino, Êuporo, Gelásio e Euniciano da capital Gortina, Zótico do litoral de Cnossos, Agátopo do porto de Panormos, Basílides da Cidônia e Evaristo e Pompeio de Heraclião. Os dez firmemente confessaram sua fé em [[Jesus Cristo|Cristo]] e se negaram a oferecer sacrifícios aos deuses pagãos.

O ímpio governador então lhes disse: “Vós, que depreciais esta grande assembleia na qual se rende culto aos todo-poderosos Júpiter, Juno, Reia e outras divindades, vereis o poder dos deuses.” E eles o responderam que a lenda de Júpiter não lhes era estranha, e asseguraram que aqueles que o consideravam uma divindade deviam por virtude imitar os seus vícios. Se a multidão de pagãos enfurecidos não tivesse sido contida, eles já haveriam sido martirizados, mas o governador decidiu sentenciar a um mês de cruéis torturas, como açoites e apedrejamento.

Todos os exortavam a oferecerem sacrifícios para se salvarem, mas os confessores fielmente replicavam que preferiam morrer a isso. Com a ajuda de Deus, todos perseveraram, glorificando a Deus e orando para que Deus iluminasse seus torturadores com a luz da verdadeira Fé e se mostrasse misericordioso para com eles. Depois de um mês, certo de que os mártires não negariam a Cristo por nada, Décio ordenou que seus membros fossem desarticulados e finalmente sua decapitação, e assim entregaram suas almas ao Senhor e foram contados dentre os mártires por Cristo. Seus corpos foram enterrados pelos cristãos.

== Pós-vida ==
Em 312, São Paulo, futuro Arcebispo de Constantinopla, solicitou ao santo Imperador Constantino a transferência de suas relíquias. Quando retornou a Creta junto de piedosos anciãos que foram testemunhas de seu martírio, abriram seus túmulos e viram seus corpos incorruptos. Então, os transladaram a Gortina, onde por séculos eles viriam a ser comemorados.

== Ligações externas ==
* [http://www.catedralortodoxa.com.br/single-post/2015/12/23/Santos-Dez-M%C3%A1rtires-de-Creta-%E2%80%A0-c-250-23-de-Dezembro Santos Dez Mártires de Creta] (Arquidiocese Ortodoxa Antioquia de São Paulo e Todo o Brasil)
* [https://www.goarch.org/chapel/saints?contentid=349 Dez Mártires de Creta] (Arquidiocese Ortodoxa Grega da América, GOARCH)
* [http://ocafs.oca.org/FeastSaintsViewer.asp?FSID=103616 Dez Santos Mártires de Creta] (Igreja Ortodoxa na América, OCA)
* [https://www.johnsanidopoulos.com/2010/12/holy-ten-martyrs-of-crete.html Os Santos Dez Mártires de Creta] (Pe. João Sanidopoulos)
7 200
edições

Menu de navegação