Epifânio do Chipre

Da wiki OrthodoxWiki
Revisão em 04h04min de 9 de fevereiro de 2019 por EGobi (Discussão | contribs) (Link externo)
(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa
Santo Epifânio do Chipre

Santo Epifânio do Chipre, também conhecido como Epifânio de Salamina, foi Bispo de Salamina na ilha do Chipre e, mais tarde, Bispo do Chipre durante o século IV. Ele era reconhecido pelo seu grande zelo pela fé, seu amor e caridade pelos pobres, e por sua simplicidade de caráter. Ele é conhecido por compor um grande compêndio das heresias de seu tempo. Sua memória é celebrada em 12 de maio.

Vida

Epifânio viveu durante o século IV, na Fenícia. Nasceu judeu e recebeu fina educação. Converteu-se ao cristianismo depois de testemunhar um monge, de nome Luciano, dar suas próprias roupas a um pobre. Arrebatado pela caridade cristã, aceitou do monge Luciano o Santo Batismo e adentrou em um mosteiro. Ali realizou sua ascese sob orientação do ancião Ilarion, e se ocupou com a vida monástica e com a cópia de livros em gregos. Por seus esforços ascéticos, recebeu do Senhor o dom da operação de milagres. Mas, para fugir da glória terrena, afastou-se da comunidade e foi habitar o deserto de Spanidrion. Neste lugar foi preso por assaltantes, que o mantiveram em cativeiro por três meses. Mas a convivência com o santo despertou o coração da gangue para a verdadeira fé. Um deles acompanhou o monge até o mosteiro e foi batizado com o nome de João, tornando-se, a partir de então, fiel discípulo de Epifânio, de quem guardou por escrito os ensinamentos, os milagres e a vida. Por uma segunda vez o santo rumou para o deserto, desta vez acompanhado de seu discípulo João. Atraídos por sua fama, uma comunidade de discípulos formou-se ao seu redor, desenvolvendo-se ali um novo mosteiro. Tempos depois, o monge Epifânio realizou uma peregrinação a Jerusalém, a fim de visitar os lugares santos. Quando soube que enviados da Lícia lhe pediriam para assumir o trono episcopal, o santo rumou para o deserto de Spanidrion mais uma vez, onde passou dois meses em oração com seu antigo preceptor, o ancião Ilarion. Dali, Epifânio foi enviado pelo ancião à cidade de Salamina, na qual bispos se encontravam reunidos para escolher um novo pastor no lugar do bispo recém falecido. Cristo revelou para o mais velho deles, Biso Papios, que o monge deveria ser escolhido. Quando Epifânio chegou, o Bispo o levou até a Igreja, onde, em obediência aos partícipes do concílio, deu consentimento à sua escolha para a cátedra de Salamina. Era o ano 367.

Santo Epifânio conquistou grande reconhecimento por sua atividade episcopal, dado o seu zelo, amor, caridade e simplicidade. Por sua pureza de vida, recebeu o dom de ver a chegada do Espírito Santo sobre os santos dons durante a Divina Liturgia.

Por causa das intrigas da Imperatriz Eudoxia e do Patriarca de Alexandria Theophilos, Santo Epifânio foi chamado a um concílio em Constantinopla, que deveria condenar São João Crisóstomo. Não querendo participar deste crime, abandonou o sínodo e foi embora da cidade. Na viagem de volta, já no navio, sentiu a proximidade da morte, e deu aos seus discípulos instruções finais -- manter os mandamentos do Senhor e a mente livre dos pensamentos impuros -- e dois dias depois adentrou o Reino dos Céus.

O Sétimo Concílio Ecumênico nomeia Santo Epifânio como Padre e Mestre da Igreja.

Fontes

Link externo